sexta-feira, 11 de junho de 2010

JOGADOR

o meu verso vem de berço
vem da Barsa controverso
lebre à noite é gato pardo
vendo à vista vejo em partes
prezo um prazo sai fiado
cobro o preço do meu fardo
já não peço em troca agrado
quero artista desvendar-te
quero a arte que me cabe
deste esporte: ser poeta
de porte ou atleta quem sabe
de sorte (amor na roleta...)
quanto à morte de onde meço
não é meta e sim começo
não o norte sou meu guia
a seta não alvo a via
a reta a linha e o corte
meu forte? minha veneta
me procuro ou quem comporte
como um muro esta faceta

letra fred sommer música áureo gandur