sábado, 3 de setembro de 2011

PÁ (A MOÇA DA PLATÉIA)

a moça da platéia
não olha nos meus olhos
não cruza as pernas, creia
nem usa fé em Deus
se pá no fundo ri
se pá tem fundo não
talvez passe o chapéu
já cheia de si

ando tão sozinho
entre astros e quimeras
e se já não deixo rastros
quem me dera o seu caminho
eu pudesse então seguir

mas qual, não há quem possa
com a moça da platéia
se cruza os braços, ouça
não usa o coração
num passe ela quiçá
tirasse até o chapéu
e fundo o coração da bolsa
se pá

sigo se preciso
cada passo seu e um dia
vai que pareça um palhaço
quem diria seu sorriso
me terá feito chorar

com a moça dos meus olhos
porém, não há quem possa
no fundo me recolho
chapéu já cheio e pá
se pá nem dá por si
e eu cruzo os dedos, Deus
mas para ela não tô nem aí



letra Fred Sommer música Fred Sommer e Aureo Gandur

Um comentário:

Sandrio cândido. disse...

Gosto muito desta letra, gostei do jogo de palavras.